20 de jan de 2014

Calalini & Yume Nikki

Status : Calalini calalini cala-cala-calalini ||  Calalini - Kaai Yuuki
Hello pessoas! Como estão? Bom, já vi que não mudou nada desde o último post... Mesmo assim, vou me esforçar pra deixar o blog na ativa! Principalmente enquanto eu ainda estou de férias, se for para postar uma hora tem que ser agora, mais tarde vai ser mais difícil... Well, hoje o post será grande de novo! São dois tópicos dessa vez, dois assuntos. Um jogo e uma música para ser mais exata, mas todos eles tem uma coisa em comum, um tipo de resumo pro post : um mundo imaginário à parte do em que nós vivemos. Sempre achei esse tipo de assunto super interessante, sempre tive essa atração por um mundo novo e imaginário, criaturas vivas nele, ver coisas fantásticas e até assustadoras, apesar de nunca ter visto nenhuma (quando eu era pequena já tentei me enfiar num buraco na terra achando que ia pro país das maravilhas, só pra ter uma noção). Bom, eu selecionei essas duas coisas e eu as acho super interessantes, não sei vocês... Bem, espero que gostem ~

Vamos começar com a música, esta que até citei no blockquote lá em cima. O nome dela é Calalini, é cantada pela vocaloid Kaai Yuuki, produzido por Childhood Crusher-P, Planty-P e Abstract Eclipse, com mais destaque para o Childhood (ele escreveu a música, os demais só ajudaram na mixagem e talz). Vou por logo os links da música caso queiram ouví-la logo e tudo mais, aqui o link do Nico Nico Douga e do Youtube. Conheci essa música através de um cover da vocaloid chinesa Yan He, mas se quiserem o link pesquisem no google, preguiçosos q [/tapa].
Enfim, logo no comecinho do vídeo já percebe-se um pequeno texto dizendo que a história contada nessa música é 100% verdadeira e... Bom, ele não estava errado em dizer isso. Calalini é baseada na história (um tanto bizarra e perturbadora) de uma menina de apenas 9 anos de idade (na época) chamada Jani Schofield, que foi diagnosticada com o pior caso de esquizofrenia já datado pelos médicos. Ela teve mais de 200 alucinações com vários seres, gatos, ratos, pássaros, até com outras menininhas, e pelo que parece todas essas alucinações vinham da ilha imaginária de Calalini. Segundo a própria Jani, Calalini fica na fronteira do nosso mundo com o dela. Ela também já disse que está bem ciente da sua doença e também que prefere a ilha ao nosso mundo, uma coisa do gênero. A música da Kaai Yuuki mostra, em especial, três seres que via em suas alucinações : Wednesday ou Quarta-feira, um rato que aparentemente não fazia nada; 24 horas, uma menina de sua idade e (a criatura que eu destaco mais e acho a mais interessante) 400, um gato que a mandava fazer coisas ruins. Quando o gato falava com ela, Jani ficava extremamente violenta e atacava sua própria família, seguindo as ordens dele. Hoje ela toma remédios para amenizar as alucinações e seus pais tentam afastá-la de objetos perigosos para que ela não machucasse ninguém. Essa música se tornou uma das minhas favoritas da Kaai Yuuki, na minha opnião a história da Jani é bizarra sim, mas também é muito interessante. Espero que um dia, ela fique livre dessas alucinações terríveis.

Agora, ao jogo! Yume Nikki, um jogo que zerei recentemente e na minha opnião é o melhor RPG maker que já joguei, é um jogo de plataforma RPG maker 2003 criado por Kikiyama em 2004. Nesse jogo, você é uma menina chamada Madotsuki (窓付き) que mora em um pequeno apartamento de um só quarto e uma varanda. No mundo normal não há nada para fazer mas, quando Madotsuki vai dormir, ela entra no Dream World, um mundo gigantesco onde ela deve coletar efeitos. Só na experiência dos outros em relação a esse jogo e principalmente à minha própria, percebe-se que esse jogo não tem lá uma história fixa. Na verdade, quem deve imaginar a história por trás dele são os próprios jogadores usando a sua imaginação pois, se for se prender ao que o jogo mostra, não há lógica nenhuma. Existem várias teorias para a história dele, inclusive o que mais explicaria tudo isso é a que Madotsuki é esquisofrênica. E ainda por parte dos NPCs, eu tenho uma certa teoria de cada um deles. Acredito que eles representem algum sentimento que faltava à Mado receber dos outros ou coisa do tipo... Eu votaria na teoria que a Mado é solitária, não tem amigos, a família pouco se lixa pra ela e o Dram World é a única escapatória dela dessa solidão e... Lá vou eu quase soltar spoiler. Bem, descubram o resto da teoria por vocês mesmos e joguem o jogo pra entender o que estou falando. O jogo em si é longo, tem mais de 300 mundos pra explorar, os efeitos são dificinhos de achar e dura uns bons dias pra zerar, mas vale bastante a pena. Basta usar a sua imaginação e controlar a raiva pra não estrangular o Kikiyama depois de zerar. Sério, o finalzinho dá bastante raiva, principalmente pra mim que me conectei muito à... Esquece. Bom, vou encerrar a postagem por aqui, espero que tenham gostado e comentar não faz cair a mão q [/tapa²]. Bai bais ~

2 comentários

  1. Eii, essa aqui é a minha primeira visita em seu blog e queria dizer que o adorei, olhando os seus posts você me pareceu ser uma pessoa bem criativa e seu blog é muito lindo e fofo.
    beijos e até mais ;**

    (http://goo.gl/EL9a7J)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa, bem-vinda ~ Obrigada, moça ^^ Hehe, que isso, nem me imaginava assim ^^ Enfim, sinta-se a vontade aqui ~ Obrigada de novo ~~

      Excluir

Regritas :
¹ - Não insulte ninguém
² - Não fale mal de nenhum blog, muito menos o meu.
Qualquer comentário ofensivo será excluído.

Obrigada por comentar XD
Fez uma blogueira filiz :3